Dulce Nunes

(Baden Powell e Dulce Nunes - Tristeza Solidão)

video

Dulce Nunes
Dulce Pinto Bressane

Compositora. Cantora. Produtora musical.

Iniciou sua carreira como atriz, nos anos 1950, estrelando os filmes "Estrela da manhã", do diretor Jonald de Oliveira, e "O noivo da minha mulher", esse último uma produção italiana.

Foi casada com o pianista Bené Nunes, de 1956 a 1965. Eram constantes as reuniões realizadas em sua casa, onde recebia os compositores e intérpretes da bossa nova.

Participou do musical "Pobre menina rica", de Carlos Lyra e Vinicius de Moraes, gravando a trilha sonora original, lançada em disco, em 1964, com Carlos Lyra, Moacir Santos e Telma Soares, e com arranjos de Radamés Gnatalli. Em 1965, após separar-se de Bené Nunes, começou a cantar em público, participando de shows com Baden Powell e apresentando-se em televisão e teatros. Nesse mesmo ano, participou do Festival Nacional de Música Popular Brasileira (TV Excelsior), classificando-se entre as 10 finalistas com sua composição "O jangadeiro" (c/ João do Vale), interpretada pelo cantor Catulo de Paula.

Em 1966, lançou o LP "Dulce" (Forma), interpretando composições de Antonio Carlos Jobim, Carlos Lyra, Vinicius de Moraes, Baden Powell e Ruy Guerra. Foi acompanhada, nessa gravação, por Baden Powell e o quarteto de cordas de Peter Daulsberg, com arranjos de Guerra Peixe. Por esse disco recebeu, no Teatro Municipal, o prêmio "Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro", promovido pelo "Correio da Manhã", como a Melhor Cantora do ano. O LP foi considerado, em citação de Silvio Tulio Cardoso, do jornal "O Globo", como um dos melhores discos do ano. Em 1967, participou, como cantora e compositora, do II Festival Internacional da Canção (Rede Globo), com a música "O amanhecer" (c/ Ruy Guerra).

Em 1968, gravou o LP "O samba do escritor", registrando composições próprias, em parceria com vários escritores. O disco contou com a participação de Nara Leão, Edu Lobo, Gracinha Leporace, Joyce e o conjunto vocal Momento Quatro, além de arranjos de Luiz Eça, Oscar Castro Neves e o lançamento de Egberto Gismonti, como arranjador e instrumentista.

Discografia
(1968) O samba do escritor
(1966) Dulce
(1964) Pobre menina rica - trilha sonora original •

(fonte: Dicionário Cravo Albin)

Comentários