quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

O Poeta de Botafogo

Manuel Carneiro de Sousa Bandeira Filho
.
(Recife, 19 de abril de 1886 / Rio de Janeiro, 13 de outubro de 1968)
Professor, Poeta, Cronista, Crítico e Historiador literário
Brasileiro.
.
Poemas De Manuel Bandeira
O Poeta de Botafogo
.
De A cinza das horas (1917)
.
EPÍGRAFE
.
Sou bem-nascido. Menino,
Fui, como os demais, feliz.
Depois, veio o mau destino
E fez de mim o que quis.
.
Veio o mau gênio da vida,
Rompeu em meu coração,
Levou tudo de vencida,
Rugia e como um furacão,
.
Turbou, partiu, abateu,
Queimou sem razão nem dó -
Ah, que dor!
Magoado e só,
- Só! - meu coração ardeu:
.
Ardeu em gritos dementes
Na sua paixão sombria...
E dessas horas ardentes
Ficou esta cinza fria.
- Esta pouca cinza fria.

Nenhum comentário: