terça-feira, 4 de outubro de 2011

LOUVAÇÃO A MARIAMA



...

X. LOUVAÇÃO A MARIAMA

(Coro — Cantado)

— Mariama lya, lya, ô, Mãe do Bom Senhor!

Maria Mulata, Maria daquela colônia favela, que foi Nazaré.

Morena formosa, Mater dolorosa, Sinhá vitoriosa, Rosário dos pretos mistérios da Fé.

Mãe do Santo, Santa, Comadre de tantas, liberta mulhé.

Pobre do Presépio, Forte do Calvário, Saravá da Páscoa de Ressurreição, Roseira e corrente do nosso Rosário, Fiel Companheira da Libertação.

Por teu Ventre Livre, que é o verdadeiro, pois nos gera livres no Libertador, acalanta o Povo que está em cativeiro, Mucama Senhora e Mãe do Senhor.

— Mariama lya, lya, ô, Mãe do Bom Senhor!

Canta sobre o Morro tua Profecia que derruba os ricos e os grandes, Maria.

Ergue os submetidos, marca os renegados, samba na alegria dos pés congregados.

Encoraja os gritos, acende os olhares, ajunta os escravos em novos Palmares.

Desce novamente ás redes da vida do teu Povo Negro, Negra Aparecida!!!

Xl. MARCHA FINAL

(Música de Banzo e de Esperança)

— Banzo da Terra que será nossa, banzo de todos na Liberdade, banzo da vida que vai ser outra, banzo do Reino, maior saudade em luta do Amanhã, vontade da Aruanda que uni dia virá! Saudade da Terra e dos Céus, o banzo do Homem, saudade de Deus.

(Recitado)

Trancados na Noite Milênios afora forçamos agora, as portas do Dia. Faremos um Povo de igual Rebeldia. Faremos uni Povo de bantus iguais.

Faremos de todos os lares fraternas senzalas sem mais. Faremos a Negra Utopia do novo PALMARES na só Casa Grande dos filhos do Pai.

Os Negros da África

os afros da América

os Negros do Mundo,

na Aliança com todos os Pobres da Terra.

Seremos o Povo dos Povos:

Povo resgatado, Povo aquilombado, livre de senhores, de ninguém escravo, senhores de nós, irmãos de senhores, filhos do Senhor!

(Recitado)

Sendo Negro o Negro, sendo índio o índio, sendo cada um como nos tem feito a mão de Olorum.

"— Meus cúmplices são os Negros de todas as raças!"

Seremos Zumbis, construtores dos novos QUILOMBOS queridos.

"Meus cúmplices são os Negros de todas as raças!"

"Meus cúmplices são os Negros de todas as raças!"

"Meus cúmplices são os Negros de todas as raças!"

(...)


Nenhum comentário: