sábado, 31 de dezembro de 2011

É de lei

Baixe Aqui
...
01 - Aviso aos Navegantes
02 - Vou Deitar e Rolar (Quaquaraquaqua)
03 - Refém da Solidão
04 - Carta de Poeta
05 - Lapinha
06 - É de Lei
07 - Falei e Disse
08 - Ponto
09 - Violão Vadio
10 - Samba do Perdão
...
É coisa linda esse disco*

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

A Maior Flor do Mundo


E se as histórias para crianças passassem a ser de leitura obrigatória para os adultos?
Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar?

.::José Saramago::.
...



quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Na Onda Que Balança

João BoscoNa Onda Que Balança

1 - Por Um Sorriso
2 - Dodô
3 - Água Mãe Água
4 - Indeciso Coração
5 - Babalu de Dakar
6 - O Espírito do Prazer
7 - Liberdade
8 - Babacu com Brubeck
9 - Momentos Roubados
10 - Flerte
11 - Rosamundo
12 - Olhos Puxados
13 - Salve o Criador

sábado, 17 de dezembro de 2011

Cangerê: Cantata em Tupi

Hoje venho apenas direcionar os visitantes do Nada será como antes... para um blog que eu acompanho desde que abri esse espaço.

Bossa Brasileira faz esse trabalho maravilhoso de resgatar nossa cultura musical, essa semana trouxe para nós entusiastas da Música, uma jóia rara!

O disco “Cangerê: Cantata em Tupi” uma verdadeira obra de arte da nossa música popular Brasileira.

Todas as informações a respeito do disco são muito bem esclarecidas por Thiago Mello em seu blog > Bossa Brasileira
...


Não deixem de visitar e prestigiar esse trabalho. Encontrarão nesse blog preciosidades da nossa cultura musical.
...

(Deixo aqui o disco disponível no MegaUpload)

Alice Ribeiro
“Cangerê: Cantata em Tupi” 1958

(BaixeAqui)

01 - Catira n. 1 - “Evocação à Tupã”
02 - Catira n.2 - “Evocação à Iara”
03 - Catira n.3 - “Defumação”
04 - Catira n.4 - “Ritual do Cangerê”
05 - Catira n.5 - “Exaltação à Terra”
06 - Catira n.6 - “Confraternização”
07 - Catira n.7 - “Encerramento”


quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Elis 1974

(Baixe Aqui)

1. Na Batucada da Vida
2. Travessia
3. Conversando no Bar
4. Ponta de Areia
5. O Mestre Sala dos Mares
6. Amor até o Fim
7. Dois pra lá, dois pra cá
8. Maria Rosa
9. Caça à Raposa
10. O Compositor me disse


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Vocês, Marias de agora...

.::Maria Rosa::.

...

Vocês estão vendo aquela mulher de cabelos brancos

Vestindo farrapos, calçando tamancos

Pedindo nas portas pedaços de pão

A conheci quando moça, era um anjo de formosa

Seu nome é Maria Rosa, seu sobrenome Paixão

Os trapos de sua veste não é só necessidade

Cada um para ela representa uma saudade

Ou de um vestido de baile, ou de um presente talvez

Que algum dos seus apaixonados lhe fez

Quis certo dia Maria por a fantasia dos tempos passados

pôr em sua galeria uns novos apaixonados

Essa mulher que outrora a tanta gente encantou

Nem um olhar teve agora, nem um sorriso encontrou

Então dos velhos vestidos que foram outrora sua predileção

Mandou fazer esta capa de recordação

Vocês, Marias de agora, amem somente uma vez

Pra que mais tarde essa capa não sirva em vocês

...

Composição: Lupicínio Rodrigues e Alcides Gonçalves

na voz de Elis Regina*

(Baixe Aqui)

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Cuca Roseta


Essa moça linda se chama Cuca Roseta é uma Fadista Portuguesa apelidada de "A nova voz do Fado”.

A muito tempo não ouço com tanto prazer uma Artista, achei ela maravilhosa em toda sua Arte, em seu disco que foi lançado esse ano, achei todas as músicas lindas e emocionantes. Emocionante sua interpretação de “Tortura” poesia de outra linda Artista Lusitana, “Florbela D’Alma da Conceição Espanca”

...

Aqui ela canta poesia de Florbela Espanca brilhantemente acompanhada por Mário Pacheco (guitarra portuguesa), Pedro Pinhal (viola de Fado) e Rodrigo Serrão (contrabaixo).

Como não é de costume do Blog publicar links de download de Artistas atuais (pois seu disco foi lançado ainda esse ano) deixo recomendado aqui seus links onde terão tudo sobre ela, suas músicas fotos e vídeos

http://www.cucaroseta.com/site/pt

http://www.myspace.com/cuca_roseta

...

.::Tortura::.

Tirar dentro do peito a emoção,

A lúcida verdade, o sentimento!

- E ser, depois de vir do coração,

Um punhado de cinza esparso ao vento!…


Sonhar um verso d´alto pensamento,

E puro como um ritmo d´oração!

- E ser, depois de vir do coração,

O pó, o nada, o sonho dum momento!…


São assim ocos, rudes, os meus versos:

Rimas perdidas, vendavais dispersos,

Com que eu iludo os outros, com que minto!


Quem me dera encontrar o verso puro,

O verso altivo e forte, estranho e duro,

Que dissesse, a chorar, isto que sinto!

~~

Florbela Espanca - A mensageira das violetas