quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Cascatinha e Inhana

Francisco dos Santos (Cascatinha)
e
Ana Eufrosina da Silva (Inhana)
.
Marido e esposa, juntos formaram uma das principais duplas sertanejas do Brasil. Suas mais famosas músicas foram Índia (1952) que os levou a um grande sucesso, Meu Primeiro Amor (também de 1952) e Colcha de Retalhos (1959).
.
Colcha de Retalhos > Baixe Aqui
Meu Primeiro Amor > Baixe Aqui
Índia > Baixe Aqui
.
Nascidos no interior de São Paulo, desde cedo a dupla apaixonou-se pela poesia da música sertaneja. Francisco dos Santos já tocava bateria e violão e se apresentava cantando modinhas, canções e valsas românticas. Quando da chegada do circo Nova Iorque no município de Araraquara, Francisco conheceu o cantor Chopp e resolveu formar dupla com ele, adotando então o nome artístico de Cascatinha, nome de famosa cerveja da época, para estar de acordo com o nome do parceiro. Por essa época, Ana Eufrosina se apresentava como solista em um conjunto formado por seus irmãos. A dupla Chopp e Cascatinha se apresentava em circos.
Francisco e Ana se conheceram e casaram em 1941. Formou-se então o Trio Esmeralda, com Chopp, Cascatinha e Inhana, nome artístico adotado por Ana. O Trio Esmeralda viajou para o Rio de Janeiro obtendo relativo sucesso. Receberam prêmios nos programas César Ladeira na Rádio Mayrink Veiga, Manuel Barcelos e "Papel carbono", este de Renato Murce, ambos na Rádio Nacional. Em 1942 o Trio se desfez com a saída de Chopp. Cascatinha e Inhana ingressaram então no Circo Estrela D'Alva, com o qual fizeram excursão pelo interior dos estados do Rio e de São Paulo, para onde retornaram. Em São Paulo continuaram a atuar em diversos circos, tendo permanecido por cinco anos no Circo Imperial...
.
O disco
.
Cascatinha e Inhana
Grandes Sucessos > Baixe Aqui

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Garoto

Aníbal Augusto Sardinha
Garoto
(São Paulo, 29 de junho de 1915 / Rio de Janeiro, 3 de maio de 1955)

Compositor e violonista Brasileiro.

Além de violonista, Garoto foi um músico multi-instrumentista, dominando também o banjo, cavaquinho, bandolim, violão tenor, guitarra elétrica, havaiana, portuguesa, além de compor e fazer arranjos para estes instrumentos.

Foi um dos maiores violonistas Brasileiros de todos os tempos, sendo influência para músicos como João Gilberto, Raphael Rabello, Dino 7 Cordas.

Começou a carreia bastante cedo, com apenas 11 anos de idade, o que lhe rendeu o apelido de "O Moleque do Banjo" e posteriormente Garato.
.
O disco

Garoto (Aníbal Augusto Sardinha) - Viva Garoto (1950)

domingo, 19 de dezembro de 2010

Violão vadio

foto: Allyson Krainski > gutoclick
Violão Vadio
Baden Powell e Paulo César Pinheiro
.
Novamente juntos eu e o violão
Vagando devagar, por vagar
Cantando uma canção qualquer, só por cantar
Mercê da solidão
Vadiando em vão por aí
Nós vamos seguir,
Outra rua, outro bar, outro amigo, outra mão
Qualquer companheira, qualquer direção
Até chegar em qualquer lugar
Qualquer que seja a morte a esperar
Jamais meu violão me abandonará
Se eu vivi, foi inútil viver
Já mais nada me resta saber
Quero ouvir meu violão gemer
Até me serenizar
.
Baden Powell e Paulo C. Pinheiro > Baixe Aqui
Yamandu Costa > Baixe Aqui
Diogo Nogueira > Baixe Aqui
Elisete Cardoso > Baixe Aqui
.
Personagem na foto:
Allan Krainski músico, artista da vida, grande amigo e professor
.
Sem a música, a vida seria um erro.
(Friedrich Nietzsche)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Haiti

Foto: Rodrigo Maia
Haiti
Caetano Veloso e Gilberto Gil
.
Quando você for convidado pra subir no adro
Da fundação casa de Jorge Amado
Pra ver do alto a fila de soldados, quase todos pretos
Dando porrada na nuca de malandros pretos
De ladrões mulatos e outros quase brancos
Tratados como pretos
Só pra mostrar aos outros quase pretos
(E são quase todos pretos)
E aos quase brancos pobres como pretos
Como é que pretos, pobres e mulatos
E quase brancos quase pretos de tão pobres são tratados
E não importa se os olhos do mundo inteiro
Possam estar por um momento voltados para o largo
Onde os escravos eram castigados
E hoje um batuque um batuque
Com a pureza de meninos uniformizados de escola secundária
Em dia de parada
E a grandeza épica de um povo em formação
Nos atrai, nos deslumbra e estimula
Não importa nada:
Nem o traço do sobrado
Nem a lente do fantástico,
Nem o disco de Paul Simon
Ninguém, ninguém é cidadão
Se você for a festa do pelô, e se você não for
Pense no Haiti, reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui
E na TV se você vir um deputado em pânico mal dissimulado
Diante de qualquer, mas qualquer mesmo, qualquer, qualquer
Plano de educação que pareça fácil
Que pareça fácil e rápido
E vá representar uma ameaça de democratização
Do ensino do primeiro grau
E se esse mesmo deputado defender a adoção da pena capital
E o venerável cardeal disser que vê tanto espírito no feto
E nenhum no marginal
E se, ao furar o sinal, o velho sinal vermelho habitual
Notar um homem mijando na esquina da rua sobre um saco
Brilhante de lixo do Leblon
E quando ouvir o silêncio sorridente de São Paulo
Diante da chacina
111 presos indefesos, mas presos são quase todos pretos
Ou quase pretos, ou quase brancos quase pretos de tão pobres
E pobres são como podres e todos sabem como se tratam os pretos
E quando você for dar uma volta no Caribe
E quando for trepar sem camisinha
E apresentar sua participação inteligente no bloqueio a Cuba
Pense no Haiti, reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui
.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Morte e Vida Severina


Funeral de um Lavrador
Chico Buarque de Hollanda e João Cabral de Mello Neto
.
Esta cova em que estás com palmos medida
É a conta menor que tiraste em vida
É a conta menor que tiraste em vida
.
É de bom tamanho nem largo nem fundo
É a parte que te cabe deste latifúndio
É a parte que te cabe deste latifúndio
.
Não é cova grande, é cova medida
É a terra que querias ver dividida
É a terra que querias ver dividida
.
É uma cova grande pra teu pouco defunto
Mas estarás mais ancho que estavas no mundo
Estarás mais ancho que estavas no mundo
.
É uma cova grande pra teu defunto parco
Porém mais que no mundo te sentirás largo
Porém mais que no mundo te sentirás largo
.
É uma cova grande pra tua carne pouca
Mas a terra dada, não se abre a boca
É a conta menor que tiraste em vida
É a parte que te cabe deste latifúndio
É a terra que querias ver dividida
Estarás mais ancho que estavas no mundo
Mas a terra dada, não se abre a boca.
___
.
Chico Buarque e Airton Barbos > Baixe Aqui
Nara Leão > Baixe Aqui
Rolando Boldrin & Renato Teixeira > Baixe Aqui

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Andrés Segóvia

Andrés Segovia
(Linares, Espanha, 21/2/1893 - Madri, 3/6/1987)
.
Foi um violonista erudito Espanhol considerado o pai do Violão erudito moderno pela maioria dos estudantes de música.
.
A introdução de Segovia ao violão foi aos quatro anos de idade. Quando era pequenino, o seu tio entoava-lhe canções enquanto ele tocava um violão imaginária. Isso incitou Segovia a elevar o violão para o status do piano e do violino. Em particular, ele queria que o violão fosse tocada e estudada em todos os países e universidades do mundo, e passar o seu amor por ela para as gerações futuras
.
Muitos músicos proeminentes acreditaram que o violão de Segovia não seria aceite pela comunidade da música erudita, porque nas suas mentes, o violão não poderia ser usada para música erudita. Apesar disso, a excelente técnica de Segovia e o seu toque único atordoaram plateias. Consequentemente, o violão não foi mais visto estritamente como um instrumento popular, mas sim como um instrumento apto para tocar música erudita.
.
Disco um > Parte 1 / Parte 2
.
Disco dois > Parte 1 / Parte 2
.
Como progredia na sua carreira e tocava para audiências cada vez maiores, Segovia constatou que os violoes existentes não eram suficientes para tocar em grandes salas de concerto, porque não conseguiam produzir volume de som suficiente. Isso estimulou-o a procurar inovações tecnológicas (da época), que poderiam melhorar a amplificação natural do instrumento. Trabalhando a par com o luthier Hermann Hauser, ajudou na construção da que hoje é conhecido como Violão Clássico, de melhores madeiras e cordas de nylon. O formato do violão também foi mudado para melhorar a acústica. O novo violão podia produzir notas com maior volume sonoro do que os modelos anteriores, usados na Espanha e noutras partes do mundo, embora fosse ainda baseado no modelo básico desenvolvido por Antonio Torres quase 50 anos antes de Segovia nascer. Depois de uma viagem de Segovia pelos Estados Unidos em 1928, Heitor Villa-Lobos compôs e dedicou-lhe os "12 Estudos". Segovia também transcreveu muitas peças eruditas e reescreveu obras transcritas por outros (como Tárrega). Muitos violonistas nas Américas, entretanto, já tinham tocado as mesmas obras antes de Segovia chegar.
.
Segovia ganhou o prémio Grammy pela Melhor Performance Erudita - Instrumentista em 1958, pela sua gravação Segovia Golden Jubilee.
.
Em reconhecimento à sua enorme contribuição cultural, foi elevado para a nobreza espanhola em 1981, com o título de Marquês de Salobreña.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Rei da Voz

Francisco de Morais Alves
.
(Rio de Janeiro, 19/agosto/1898 - Pindamonhangaba, 27/setembro/1952)
Um dos mais populares cantores do Brasil.
.
Começou sua carreira em 1918 e seu primeiro sucesso foi a marcha carnavalesca O Pé de Anjo, do compositor Sinhô. Devido a sua voz firme e potente, era conhecido como o Rei da Voz. Compôs com Orestes Barbosa algumas obras-primas da canção Brasileira: "Meu Companheiro", "A Mulher que Ficou na Taça", "Dona da Minha Vontade", "Por Teu Amor".
.
Francisco Alves já foi retratado como personagem no cinema e na televisão, interpretado por Cyl Farney no filme "Chico Viola Não Morreu" (1955), Mário Gomes no filme "Tabu" (1982) , Jandir Ferrari no filme "Nelson Gonçalves" (2001)
e Fernando Eiras na minisserie "Dalva e Herivelto - Uma Canção de Amor." (2010)
.
Disco Revivendo - Francisco Alves
Baixe Aqui (MegaUpload)
.
01. Por teu amor 02. Dei-te meu coração 03. Vivo deste amor 04. Balão do amor 05. Não sei 06. Sem ela 07. Amores de estudante 08. Sob uma cascata 09. Ilha de Capri 10. Teus beijos 11. A mulher que ficou na taça 12. Me queimei 13. Paisagens da minha terra 14. Hás de me pedir perdão 15. Olha pra lua 16. Já não és mais aquela 17. Romance 18. Serra da Boa Esperança