sábado, 31 de dezembro de 2011

É de lei

Baixe Aqui
...
01 - Aviso aos Navegantes
02 - Vou Deitar e Rolar (Quaquaraquaqua)
03 - Refém da Solidão
04 - Carta de Poeta
05 - Lapinha
06 - É de Lei
07 - Falei e Disse
08 - Ponto
09 - Violão Vadio
10 - Samba do Perdão
...
É coisa linda esse disco*

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

A Maior Flor do Mundo


E se as histórias para crianças passassem a ser de leitura obrigatória para os adultos?
Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar?

.::José Saramago::.
...



quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Na Onda Que Balança

João BoscoNa Onda Que Balança

1 - Por Um Sorriso
2 - Dodô
3 - Água Mãe Água
4 - Indeciso Coração
5 - Babalu de Dakar
6 - O Espírito do Prazer
7 - Liberdade
8 - Babacu com Brubeck
9 - Momentos Roubados
10 - Flerte
11 - Rosamundo
12 - Olhos Puxados
13 - Salve o Criador

sábado, 17 de dezembro de 2011

Cangerê: Cantata em Tupi

Hoje venho apenas direcionar os visitantes do Nada será como antes... para um blog que eu acompanho desde que abri esse espaço.

Bossa Brasileira faz esse trabalho maravilhoso de resgatar nossa cultura musical, essa semana trouxe para nós entusiastas da Música, uma jóia rara!

O disco “Cangerê: Cantata em Tupi” uma verdadeira obra de arte da nossa música popular Brasileira.

Todas as informações a respeito do disco são muito bem esclarecidas por Thiago Mello em seu blog > Bossa Brasileira
...


Não deixem de visitar e prestigiar esse trabalho. Encontrarão nesse blog preciosidades da nossa cultura musical.
...

(Deixo aqui o disco disponível no MegaUpload)

Alice Ribeiro
“Cangerê: Cantata em Tupi” 1958

(BaixeAqui)

01 - Catira n. 1 - “Evocação à Tupã”
02 - Catira n.2 - “Evocação à Iara”
03 - Catira n.3 - “Defumação”
04 - Catira n.4 - “Ritual do Cangerê”
05 - Catira n.5 - “Exaltação à Terra”
06 - Catira n.6 - “Confraternização”
07 - Catira n.7 - “Encerramento”


quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Elis 1974

(Baixe Aqui)

1. Na Batucada da Vida
2. Travessia
3. Conversando no Bar
4. Ponta de Areia
5. O Mestre Sala dos Mares
6. Amor até o Fim
7. Dois pra lá, dois pra cá
8. Maria Rosa
9. Caça à Raposa
10. O Compositor me disse


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Vocês, Marias de agora...

.::Maria Rosa::.

...

Vocês estão vendo aquela mulher de cabelos brancos

Vestindo farrapos, calçando tamancos

Pedindo nas portas pedaços de pão

A conheci quando moça, era um anjo de formosa

Seu nome é Maria Rosa, seu sobrenome Paixão

Os trapos de sua veste não é só necessidade

Cada um para ela representa uma saudade

Ou de um vestido de baile, ou de um presente talvez

Que algum dos seus apaixonados lhe fez

Quis certo dia Maria por a fantasia dos tempos passados

pôr em sua galeria uns novos apaixonados

Essa mulher que outrora a tanta gente encantou

Nem um olhar teve agora, nem um sorriso encontrou

Então dos velhos vestidos que foram outrora sua predileção

Mandou fazer esta capa de recordação

Vocês, Marias de agora, amem somente uma vez

Pra que mais tarde essa capa não sirva em vocês

...

Composição: Lupicínio Rodrigues e Alcides Gonçalves

na voz de Elis Regina*

(Baixe Aqui)

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Cuca Roseta


Essa moça linda se chama Cuca Roseta é uma Fadista Portuguesa apelidada de "A nova voz do Fado”.

A muito tempo não ouço com tanto prazer uma Artista, achei ela maravilhosa em toda sua Arte, em seu disco que foi lançado esse ano, achei todas as músicas lindas e emocionantes. Emocionante sua interpretação de “Tortura” poesia de outra linda Artista Lusitana, “Florbela D’Alma da Conceição Espanca”

...

Aqui ela canta poesia de Florbela Espanca brilhantemente acompanhada por Mário Pacheco (guitarra portuguesa), Pedro Pinhal (viola de Fado) e Rodrigo Serrão (contrabaixo).

Como não é de costume do Blog publicar links de download de Artistas atuais (pois seu disco foi lançado ainda esse ano) deixo recomendado aqui seus links onde terão tudo sobre ela, suas músicas fotos e vídeos

http://www.cucaroseta.com/site/pt

http://www.myspace.com/cuca_roseta

...

.::Tortura::.

Tirar dentro do peito a emoção,

A lúcida verdade, o sentimento!

- E ser, depois de vir do coração,

Um punhado de cinza esparso ao vento!…


Sonhar um verso d´alto pensamento,

E puro como um ritmo d´oração!

- E ser, depois de vir do coração,

O pó, o nada, o sonho dum momento!…


São assim ocos, rudes, os meus versos:

Rimas perdidas, vendavais dispersos,

Com que eu iludo os outros, com que minto!


Quem me dera encontrar o verso puro,

O verso altivo e forte, estranho e duro,

Que dissesse, a chorar, isto que sinto!

~~

Florbela Espanca - A mensageira das violetas


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Elis Regina - Os Borges

Elis Regina - Os Borges
Baixe Aqui
...
01 - Em família
02 - Carona
03 - Voa bicho
04 - Um sonho na correnteza
05 - Ainda
06 - O sapo
07 - Eu sou como você é
08 - Outro cais
09 - No tom de sempre
10 - Qualquer caminho
11 - Daniel
12 - Pros meninos
...

sábado, 19 de novembro de 2011

Florbela D’Alma

“Florbela”, o novo filme realizado e escrito por Vicente Alves do Ó, uma biografia sobre a poetisa portuguesa Florbela Espanca. Produzido pela Ukbar Filmes, “Florbela” conta no elenco com Dalila Carmo, Ivo Canelas e Albano Jerónimo.

“Florbela” terá ainda uma versão televisiva, uma minisérie, que irá passar na RTP1.


...

"Eu sou a que no mundo anda perdida

Eu sou a que na vida não tem norte

Sou a irmã do Sonho, e desta sorte"


Florbela D’Alma da Conceição Espanca


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Canto das Três Raças

Clara Nunes - Canto das Três Raças

BAIXE AQUI

01 Canto das três raças
02 Lama
03 Alvoroço no sertão
04 Tenha paciência
05 Ai quem me dera
06 Risos e lágrimas
07 Basta um dia
08 Fuzuê
09 Meu sofrer
10 Retrato falado


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

De Vinicius e Baden


De Vinicius e Baden
especialmente para Ciro Monteiro

Baixe Aqui (MegaUpload)

01 Para Fazer Um Bom Café
02 Linda Bahiana
03 Deixa
04 Amei Tanto
05 Astronauta
06 Garota Porodongons
07 Formosa
08 Alô João
09 Toma Meu Coração
10 Tempo Feliz

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Homens contra o machismo




...

Se están preparando en el mundo, diversos actos para poner en evidencia esta lacra que afecta a todas las culturas del mundo, que hace víctimas de las mujeres y de los hombres verdugos. Uno de los primeiros actos tendrá lugar en Sevilla. El Foro de Hombres por la Igualdad se asocia a la comemoración del Día Internacional contra la Violencia Machista, a través de una manifestación de Hombres contra la violencia machista.

Bajo el tema "Planta cara a la violencia, ponle cara a la igualdad", hombres y mujeres desfilarán alertando para que el terror de la violencia de género tenga fin.

Hace cinco años, una entrevista de Saramago inspiró la primera manifestación de hombres contra la violencia machista. Cinco años después los argumentos mantienen toda la fuerza y vigencia. Saramago volverá a marchar.

link para

Fundação José Saramago

Foro de Hombres por la Igualdad

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Morte e Vida Severina


...

Morte e Vida Severina em Desenho Animado é uma versão audiovisual da obra prima de João Cabral de Melo Neto, adaptada para os quadrinhos pelo cartunista Miguel Falcão. Preservando o texto original, a animação 3D dá vida e movimento aos personagens deste auto de natal pernambucano, publicado originalmente em 1956.

Em preto e branco, fiel à aspereza do texto e aos traços dos quadrinhos, a animação narra a dura caminhada de Severino, um retirante nordestino, que migra do sertão para o litoral pernambucano em busca de uma vida melhor.

(fonte: TV Escola)


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Morte e vida severina

No disco Morte e Vida Severina, de 1966, Chico Buarque musicou a obra "Morte e vida Severina"
de João Cabral de Melo Neto.

( Baixe Aqui )

"De Sua Formosura"
"Severino / O Rio"
"Notícias do Alto Sertão"
"Mulher na Janela"
"Homens de Pedra"
"Todo o Céu e a Terra"
"Encontro com o Canavial"
"Funeral de um Lavrador"
"Chegada ao Recife"
"As Ciganas"
"Despedida do Agreste"
"O Outro Recife"
"Fala do Mestre Carpina"

...

Fala do Mestre Carpina

- Severino retirante,
Deixe agora que lhe diga:
Eu não sei bem a resposta
Da pergunta que fazia,
Se não vale mais saltar
Fora da ponte e da vida;
Nem conheço essa resposta,
Se quer mesmo que lhe diga;
É difícil defender,
Só com palavras, a vida,
Ainda mais quando ela é
Esta que vê, severina;
Mas se responder não pude
À pergunta que fazia,
Ela, a vida, a respondeu
Com sua presença viva.

E não há melhor rsposta
Que o espetáculo da vida:
Vê-la desfiar seu fio,
Que também se chama vida,
Ver a fábrica que ela mesma,
Teimosamente, se fabrica,
Vê-la brotar como há pouco
Em nova vida explodida;
Mesmo quando é assim pequena
A explosão, como a ocorrida;
Mesmo quando é uma explosão
Como a de há pouco, franzina;
Mesmo quando é a explosão
De uma vida severina.

{João Cabral de Melo Neto}

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Missa dos Quilombos


Milton Nascimento, Pedro Casaldáliga e Pedro Tierra

Missa dos Quilombos

Arranjo e Regência: Milton Nascimento

(Baixe Aqui)

O disco contem Cânticos entoados na Missa dos Quilombos que aconteceu no dia 22 de novembro de 1981, na Praça do Carmo em Recife, local exato onde a cabeça do líder Negro Zumbi foi exposta no ano de 1695.

LOUVAÇÃO A MARIAMA



...

X. LOUVAÇÃO A MARIAMA

(Coro — Cantado)

— Mariama lya, lya, ô, Mãe do Bom Senhor!

Maria Mulata, Maria daquela colônia favela, que foi Nazaré.

Morena formosa, Mater dolorosa, Sinhá vitoriosa, Rosário dos pretos mistérios da Fé.

Mãe do Santo, Santa, Comadre de tantas, liberta mulhé.

Pobre do Presépio, Forte do Calvário, Saravá da Páscoa de Ressurreição, Roseira e corrente do nosso Rosário, Fiel Companheira da Libertação.

Por teu Ventre Livre, que é o verdadeiro, pois nos gera livres no Libertador, acalanta o Povo que está em cativeiro, Mucama Senhora e Mãe do Senhor.

— Mariama lya, lya, ô, Mãe do Bom Senhor!

Canta sobre o Morro tua Profecia que derruba os ricos e os grandes, Maria.

Ergue os submetidos, marca os renegados, samba na alegria dos pés congregados.

Encoraja os gritos, acende os olhares, ajunta os escravos em novos Palmares.

Desce novamente ás redes da vida do teu Povo Negro, Negra Aparecida!!!

Xl. MARCHA FINAL

(Música de Banzo e de Esperança)

— Banzo da Terra que será nossa, banzo de todos na Liberdade, banzo da vida que vai ser outra, banzo do Reino, maior saudade em luta do Amanhã, vontade da Aruanda que uni dia virá! Saudade da Terra e dos Céus, o banzo do Homem, saudade de Deus.

(Recitado)

Trancados na Noite Milênios afora forçamos agora, as portas do Dia. Faremos um Povo de igual Rebeldia. Faremos uni Povo de bantus iguais.

Faremos de todos os lares fraternas senzalas sem mais. Faremos a Negra Utopia do novo PALMARES na só Casa Grande dos filhos do Pai.

Os Negros da África

os afros da América

os Negros do Mundo,

na Aliança com todos os Pobres da Terra.

Seremos o Povo dos Povos:

Povo resgatado, Povo aquilombado, livre de senhores, de ninguém escravo, senhores de nós, irmãos de senhores, filhos do Senhor!

(Recitado)

Sendo Negro o Negro, sendo índio o índio, sendo cada um como nos tem feito a mão de Olorum.

"— Meus cúmplices são os Negros de todas as raças!"

Seremos Zumbis, construtores dos novos QUILOMBOS queridos.

"Meus cúmplices são os Negros de todas as raças!"

"Meus cúmplices são os Negros de todas as raças!"

"Meus cúmplices são os Negros de todas as raças!"

(...)


sábado, 1 de outubro de 2011

Missa dos Quilombos - Ofertório



...

V. OFERTÓRIO

(Recitado)

Na cuia das mãos trazemos o vinho e o pão, a luta e a fé dos irmãos, que o Corpo e o Sangue do Cristo serão.

(Recitado)

O ouro do Milho e não o dos Templos, o sangue da Cana e não os Engenhos, o pranto do Vinho no sangue dos Negros, O Pão da Partilha dos Pobres Libertos.

(Recitado)

Trazemos no corpo o mel do suor trazemos nos olhos a dança da vida, trazemos na luta, a morte vencida. No peito marcado trazemos o Amor. Na Páscoa do Filho a Páscoa dos filhos recebe, Senhor.

(Solo — Cantado)

Trazemos nos olhos, as águas dos rios, o brilho dos peixes, a sombra da mata, o orvalho da noite, o espanto da caçá, a dança dos ventos, a lua de prata, trazemos nos olhos o mundo, Senhor!

(Recitado)

Na palma das mãos trazemos o milho, a cana cortada, o branco algodão, o fumo-resgate, a pinga-refúgio, da carne da terra moldamos os potes que guardam a água, a flor de alecrim, no cheiro de incenso, erguemos o fruto do nosso trabalho, Senhor! Olorum!

(Solo — Cantado)

O som do atabaque marcando a cadência dos negros batuques nas noites imensas da África negra, da negra Bahia, das Minas Gerais, os surdos lamentos, calados tormentos, acolhe Olorum!

(Recitado)

— Com a força dos braços lavramos a terra cortamos a cana, amarga douçura na mesa dos brancos.

— Com a força dos braços cavamos a terra colhemos o ouro que hoje recobre a igreja dos brancos.

— Com a força dos braços plantamos na terra, o negro café, perene alimento do lucro dos brancos.

— Com a força dos braços, o grito entre os dentes, a alma em pedaços, erguemos impérios, fizemos a América dos filhos dos brancos!

(Coro — Cantado)

A brasa dos ferros lavrou-nos na pele, lavrou-nos na alma, caminhos de cruz.

Recusa Olorum o grito, as correntes e a voz do feitor, recebe o lamento, acolhe a revolta dos negros, Senhor!

(Recitado)

— Trazemos no peito os santos rosários, rosários de penas rosários de fé, na vida liberta, na paz dos quilombos de negros e brancos vermelhos no sangue. A Nova Aruanda dos filhos do Povo acolhe, Olorum!

(Recitado)

Recebe, Senhor a cabeça cortada do Negro Zumbi, guerreiro do Povo, irmão dos rebeldes nascidos aqui, do fundo das veias, do fundo da raça, o pranto dos negros, acolhe, Senhor!

(Coro — Cantado)

Os pés tolerados na roda de samba, o corpo domado nos ternos do congo, inventam na sombra a nova cadência, rompendo cadeias, forçando caminhos, ensaiam libertos a marcha do Povo, a festa dos negros, acolhe, Olorum!

(Estribilho)


sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Lô Borges


Lô Borges - A Via Láctea - 1979
( Baixe Aqui )

01. Sempre-Viva
(Lô Borges & Márcio Borges)

02. Ela
(Lô Borges & Márcio Borges)

03. A Via-Láctea
(Lô Borges & Ronaldo Bastos)

04. Clube da Esquina No.2
(Lô Borges & Márcio Borges & Milton Nascimento)
Participação: Solange Borges

05. A Olho Nu
(Lô Borges & Márcio Borges)

06. Equatorial
(Lô Borges & Beto Guedes & Márcio Borges)

07. Vento de Maio
(Telo Borges & Márcio Borges)
Participação: Solange Borges

08. Chuva na Montanha
(Fernando Oly)

09. Tudo Que Você Podia Ser
(Lô Borges & Márcio Borges)

10. Olha o Bicho Livre
(Paulinho Carvalho & Rodrigo Leste)

11. Nau Sem Rumo
(Lô Borges & Márcio Borges)


quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Nélson Cavaquinho

Nelson Antônio da Silva

Nélson Cavaquinho

(Rio de Janeiro, 29 de outubro de 1911)

É um importante músico Brasileiro.

Sambista carioca, compositor e cavaquinista na juventude, na maturidade optou pelo violão, desenvolvendo um estilo inimitável de tocá-lo, utilizando apenas dois dedos da mão direita.

Seu envolvimento com a música inicia-se na família. Seu pai, Brás Antônio da Silva, era músico da banda da Polícia Militar e seu tio Elvino tocava violino. Depois, morando na Gávea, passou a freqüentar as rodas de choro. Foi nessa época que surge o apelido que o acompanharia por toda a vida.

Casou-se por volta dos seus 20 anos com Alice Ferreira Neves, com quem teria quatro filhos e na mesma época consegue, graças a seu pai, um trabalho na polícia fazendo rondas noturnas a cavalo. E foi assim, durante as rondas, que conheceu e passou a freqüentar o morro da Mangueira, onde conheceu sambistas como Cartola e Carlos Cachaça.

Deixou mais de quatrocentas composições, entre elas clássicos como "A Flor e o Espinho" e "Folhas Secas", ambas em parceria com Guilherme de Brito, seu parceiro mais freqüente. Por falta de dinheiro, depois de deixar a polícia, Nelson eventualmente "vendia" parcerias de sambas que compunha sozinho, o que fez com que Cartola optasse por abandonar a parceria e manter a amizade.

Sua primeira canção gravada foi "Não Faça Vontade a Ela", em 1939, por Alcides Gerardi, mas não teve muita repercussão. Anos mais tarde foi descoberto por Cyro Monteiro que fez várias gravações de suas músicas. Começou a se apresentar em público apenas na década de 1960, no Zicartola, bar de Cartola e Dona Zica no centro do Rio. Em 1970 lançou seu primeiro LP, "Depoimento de Poeta", pela gravadora Castelinho.

Suas canções eram feitas com extrema simplicidade e letras quase sempre remetendo a questões como o violão, mulheres, botequins e, principalmente, a morte, como em "Rugas", "Quando Eu me Chamar Saudade", "Luto", "Eu e as Flores" e "Juízo Final".

...
Nélson Cavaquinho
Coisa da antiga > (Baixe Aqui)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Poeta Moça e Violão

Vinicius de Morais, Clara Nunes e Toquinho

Poeta, Moça e Violão 1993


Baixe Aqui parte 1

Baixe Aqui parte 2
................................................

(...)

Olhe Aqui, Mr. Buster

Está tudo muito certo, Mr. Buster - o Sr. ainda acabará governador do seu estado
E sem dúvida presidente de muitas companhias de petróleo, aço e consciências enlatadas.
Mas me diga uma coisa, Mr. Buster
Me diga sinceramente uma coisa, Mr. Buster:
O Sr. sabe lá o que é um choro de Pixinguinha?
O Sr. sabe lá o que é ter uma jabuticabeira no quintal?
O Sr. sabe lá o que é torcer pelo Botafogo?

Vinicius de Morais*



terça-feira, 20 de setembro de 2011

Júbilo, Memória Noviciado da Paixão

Hilda Hilst

(Jaú, 21 de abril de 1930, estado de São Paulo)

É considerada pela crítica especializada como uma das mais importantes vozes da língua portuguesa do séc. 20, sendo comparada à Guimarães Rosa.

Dona de uma linguagem inovadora, produziu mais de quarenta títulos entre poesia, teatro e ficção, ganhando nossos principais prêmios literários em todos os gêneros.

Sua poesia também inspirou Adoniran Barbosa, os músicos eruditos Gilberto Mendes e José Antônio de Almeida Prado, e recentemente Zeca Baleiro, a comporem parcerias com a autora.

Do livro da escritora "Júbilo, Memória Noviciado da Paixão", foram musicados alguns dos cantos de Ariana para Dionísio, pelo compositor e cantor maranhense Zeca Baleiro


Zeca baleiro e Hilda Hlist
Ode Descontinua e Remota para Flauta e Oboé

Baixe Aqui
(rapidshare)

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Fantasia

Gal Costa - Fantasia - 1981

.

01 Canta Brasil - (David Nasser - Alcyr Pires Vermelho)
02 Meu Bem, Meu Mal - (Caetano Veloso)
03 Roda Baiana - (Ivan Lins - Vitor Martins)
04 Faltando Um Pedaço - (Djavan)
05 O Amor - (Caetano Veloso - Vladimir Maiakovski - Ney Costa Santos)
06 Festa do Interior - (Moraes Moreira - Abel Silva)
07 Açaí - (Djavan) Participação Especial: Roupa Nova
08 Tapete Mágico - (Caetano Veloso)
09 Massa Real - (Caetano Veloso)
10 Estrela, Estrela - (Vitor Ramil)
.

_______

Em especial aos meus amigos

Katyuscia Carvalho (KANAUÃ KALUANÃ)


João Miguel (Pássaro do Sul)

Casal que eu adoro!


quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Brasilia Sinfoniada Alvorada

Antonio Carlos Jobim e
Vinicius de Moraes
Brasília Sinfonia da Alvorada (1961)
.
Baixe Aqui (MegaUpload)
.

01 - O Planalto Deserto
(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)
02 - O Homem
(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)
03 - A Chegada dos Candangos
(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)
04 - O Trabalho e a Construção
(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)
05 - Coral
(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)
.

Esse disco é importante na historia da música Brasileira e muito raro tanto nos sebos quanto em mp3.

Mais sobre o disco no link (
Aqui)

.
Aos poucos vou recuperando alguns links (não uso mais o Rapidshare)


quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Felicidades Mar!




A Noite do Meu Bem
(Dolores Duran)

Hoje eu quero a rosa mais linda que houver
E a primeira estrela que vier
Para enfeitar a noite do meu bem

Hoje eu quero paz de criança dormindo
E abandono de flores se abrindo
Para enfeitar a noite do meu bem

Quero a alegria de um barco voltando
Quero ternura de irmãos se encontrando
Para enfeitar a noite do meu bem

Ah, eu quero o amor, o amor mais profundo
Eu quero toda beleza do mundo
Para enfeitar a noite do meu bem

Ah, como este bem demorou a chegar
Eu já nem sei se terei no olhar
Toda pureza que eu quero lhe dar


.
Presente para minha amiga . Marceli Andresa Becker
Do blog genial



Feliz aniversario linda!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Nélson Cavaquinho

A foto, de 1985, registra um encontro de Bambas: Paulo César Pinheiro, Beth Carvalho, Nelson Cavaquinho, Chico Buarque, João Bosco, Carlinhos Vergueiro, Cristina Buarque e Mauro Duarte. A turma se juntou para gravar um disco em homenagem a Nélson Cavaquinho. O título, "Flores em Vida", faz referência à clássica música "Quando Eu Me Chamar Saudade", em que o compositor pede que se alguém quiser fazer algo por ele, que faça enquanto estiver vivo. A homenagem veio a tempo. Nelson morreria poucos meses depois, em fevereiro de 1986. Na contracapa, Paulo César Pinheiro sentenciou: “Nelson é o sambista que mais me arrebatou e emocionou”. (fonte: Almanaque Brasil)

.

Flores em vida (1985)


1- Devia ser condenada (Cartola, Nelson Cavaquinho)
2- Dona Carola (Walto Feitosa, Norival Bahia, Nelson Cavaquinho)
3- Não te dói a consciência (Augusto Garcez, Ary Monteiro, Nelson Cavaquinho)
4- Quem chora sempre tem razão (Guilherme de Brito, Nelson Cavaquinho)
5- Aquele bilhetinho (Augusto Garcez, Canegal, Nelson Cavaquinho)
6- História de um valente (José Ribeiro de Sousa, Nelson Cavaquinho)
7- Ninho desfeito (Wilson Canegal, Nelson Cavaquinho)
8- Rugas (Augusto Garcez, Ary Monteiro, Nelson Cavaquinho)
9- Folhas secas (Guilherme de Brito, Nelson Cavaquinho)
10- Pecado (Ligia Uchôa, Nelson Cavaquinho)
11- Minha honestidade vale ouro (Guilherme de Brito, Nelson Cavaquinho)
12- Quando eu me chamar saudade (Guilherme de Brito, Nelson Cavaquinho)
.
Em 1985, foi lançado o LP Flores em vida, produzido por Carlinhos Vergueiro. O disco contou com a participação de vários artistas: Chico Buarque, Mauro Duarte, Paulinho da Viola, Beth Carvalho, João Bosco, Toquinho e Cristina Buarque, entre outros, e pelo próprio compositor, que compareceu em quatro faixas. O disco-homenagem foi lançado em uma grande festa na Quadra da Mangueira.