sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Lô Borges


Lô Borges - A Via Láctea - 1979
( Baixe Aqui )

01. Sempre-Viva
(Lô Borges & Márcio Borges)

02. Ela
(Lô Borges & Márcio Borges)

03. A Via-Láctea
(Lô Borges & Ronaldo Bastos)

04. Clube da Esquina No.2
(Lô Borges & Márcio Borges & Milton Nascimento)
Participação: Solange Borges

05. A Olho Nu
(Lô Borges & Márcio Borges)

06. Equatorial
(Lô Borges & Beto Guedes & Márcio Borges)

07. Vento de Maio
(Telo Borges & Márcio Borges)
Participação: Solange Borges

08. Chuva na Montanha
(Fernando Oly)

09. Tudo Que Você Podia Ser
(Lô Borges & Márcio Borges)

10. Olha o Bicho Livre
(Paulinho Carvalho & Rodrigo Leste)

11. Nau Sem Rumo
(Lô Borges & Márcio Borges)


quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Nélson Cavaquinho

Nelson Antônio da Silva

Nélson Cavaquinho

(Rio de Janeiro, 29 de outubro de 1911)

É um importante músico Brasileiro.

Sambista carioca, compositor e cavaquinista na juventude, na maturidade optou pelo violão, desenvolvendo um estilo inimitável de tocá-lo, utilizando apenas dois dedos da mão direita.

Seu envolvimento com a música inicia-se na família. Seu pai, Brás Antônio da Silva, era músico da banda da Polícia Militar e seu tio Elvino tocava violino. Depois, morando na Gávea, passou a freqüentar as rodas de choro. Foi nessa época que surge o apelido que o acompanharia por toda a vida.

Casou-se por volta dos seus 20 anos com Alice Ferreira Neves, com quem teria quatro filhos e na mesma época consegue, graças a seu pai, um trabalho na polícia fazendo rondas noturnas a cavalo. E foi assim, durante as rondas, que conheceu e passou a freqüentar o morro da Mangueira, onde conheceu sambistas como Cartola e Carlos Cachaça.

Deixou mais de quatrocentas composições, entre elas clássicos como "A Flor e o Espinho" e "Folhas Secas", ambas em parceria com Guilherme de Brito, seu parceiro mais freqüente. Por falta de dinheiro, depois de deixar a polícia, Nelson eventualmente "vendia" parcerias de sambas que compunha sozinho, o que fez com que Cartola optasse por abandonar a parceria e manter a amizade.

Sua primeira canção gravada foi "Não Faça Vontade a Ela", em 1939, por Alcides Gerardi, mas não teve muita repercussão. Anos mais tarde foi descoberto por Cyro Monteiro que fez várias gravações de suas músicas. Começou a se apresentar em público apenas na década de 1960, no Zicartola, bar de Cartola e Dona Zica no centro do Rio. Em 1970 lançou seu primeiro LP, "Depoimento de Poeta", pela gravadora Castelinho.

Suas canções eram feitas com extrema simplicidade e letras quase sempre remetendo a questões como o violão, mulheres, botequins e, principalmente, a morte, como em "Rugas", "Quando Eu me Chamar Saudade", "Luto", "Eu e as Flores" e "Juízo Final".

...
Nélson Cavaquinho
Coisa da antiga > (Baixe Aqui)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Poeta Moça e Violão

Vinicius de Morais, Clara Nunes e Toquinho

Poeta, Moça e Violão 1993


Baixe Aqui parte 1

Baixe Aqui parte 2
................................................

(...)

Olhe Aqui, Mr. Buster

Está tudo muito certo, Mr. Buster - o Sr. ainda acabará governador do seu estado
E sem dúvida presidente de muitas companhias de petróleo, aço e consciências enlatadas.
Mas me diga uma coisa, Mr. Buster
Me diga sinceramente uma coisa, Mr. Buster:
O Sr. sabe lá o que é um choro de Pixinguinha?
O Sr. sabe lá o que é ter uma jabuticabeira no quintal?
O Sr. sabe lá o que é torcer pelo Botafogo?

Vinicius de Morais*



terça-feira, 20 de setembro de 2011

Júbilo, Memória Noviciado da Paixão

Hilda Hilst

(Jaú, 21 de abril de 1930, estado de São Paulo)

É considerada pela crítica especializada como uma das mais importantes vozes da língua portuguesa do séc. 20, sendo comparada à Guimarães Rosa.

Dona de uma linguagem inovadora, produziu mais de quarenta títulos entre poesia, teatro e ficção, ganhando nossos principais prêmios literários em todos os gêneros.

Sua poesia também inspirou Adoniran Barbosa, os músicos eruditos Gilberto Mendes e José Antônio de Almeida Prado, e recentemente Zeca Baleiro, a comporem parcerias com a autora.

Do livro da escritora "Júbilo, Memória Noviciado da Paixão", foram musicados alguns dos cantos de Ariana para Dionísio, pelo compositor e cantor maranhense Zeca Baleiro


Zeca baleiro e Hilda Hlist
Ode Descontinua e Remota para Flauta e Oboé

Baixe Aqui
(rapidshare)

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Fantasia

Gal Costa - Fantasia - 1981

.

01 Canta Brasil - (David Nasser - Alcyr Pires Vermelho)
02 Meu Bem, Meu Mal - (Caetano Veloso)
03 Roda Baiana - (Ivan Lins - Vitor Martins)
04 Faltando Um Pedaço - (Djavan)
05 O Amor - (Caetano Veloso - Vladimir Maiakovski - Ney Costa Santos)
06 Festa do Interior - (Moraes Moreira - Abel Silva)
07 Açaí - (Djavan) Participação Especial: Roupa Nova
08 Tapete Mágico - (Caetano Veloso)
09 Massa Real - (Caetano Veloso)
10 Estrela, Estrela - (Vitor Ramil)
.

_______

Em especial aos meus amigos

Katyuscia Carvalho (KANAUÃ KALUANÃ)


João Miguel (Pássaro do Sul)

Casal que eu adoro!


quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Brasilia Sinfoniada Alvorada

Antonio Carlos Jobim e
Vinicius de Moraes
Brasília Sinfonia da Alvorada (1961)
.
Baixe Aqui (MegaUpload)
.

01 - O Planalto Deserto
(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)
02 - O Homem
(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)
03 - A Chegada dos Candangos
(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)
04 - O Trabalho e a Construção
(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)
05 - Coral
(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)
.

Esse disco é importante na historia da música Brasileira e muito raro tanto nos sebos quanto em mp3.

Mais sobre o disco no link (
Aqui)

.
Aos poucos vou recuperando alguns links (não uso mais o Rapidshare)


quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Felicidades Mar!




A Noite do Meu Bem
(Dolores Duran)

Hoje eu quero a rosa mais linda que houver
E a primeira estrela que vier
Para enfeitar a noite do meu bem

Hoje eu quero paz de criança dormindo
E abandono de flores se abrindo
Para enfeitar a noite do meu bem

Quero a alegria de um barco voltando
Quero ternura de irmãos se encontrando
Para enfeitar a noite do meu bem

Ah, eu quero o amor, o amor mais profundo
Eu quero toda beleza do mundo
Para enfeitar a noite do meu bem

Ah, como este bem demorou a chegar
Eu já nem sei se terei no olhar
Toda pureza que eu quero lhe dar


.
Presente para minha amiga . Marceli Andresa Becker
Do blog genial



Feliz aniversario linda!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Nélson Cavaquinho

A foto, de 1985, registra um encontro de Bambas: Paulo César Pinheiro, Beth Carvalho, Nelson Cavaquinho, Chico Buarque, João Bosco, Carlinhos Vergueiro, Cristina Buarque e Mauro Duarte. A turma se juntou para gravar um disco em homenagem a Nélson Cavaquinho. O título, "Flores em Vida", faz referência à clássica música "Quando Eu Me Chamar Saudade", em que o compositor pede que se alguém quiser fazer algo por ele, que faça enquanto estiver vivo. A homenagem veio a tempo. Nelson morreria poucos meses depois, em fevereiro de 1986. Na contracapa, Paulo César Pinheiro sentenciou: “Nelson é o sambista que mais me arrebatou e emocionou”. (fonte: Almanaque Brasil)

.

Flores em vida (1985)


1- Devia ser condenada (Cartola, Nelson Cavaquinho)
2- Dona Carola (Walto Feitosa, Norival Bahia, Nelson Cavaquinho)
3- Não te dói a consciência (Augusto Garcez, Ary Monteiro, Nelson Cavaquinho)
4- Quem chora sempre tem razão (Guilherme de Brito, Nelson Cavaquinho)
5- Aquele bilhetinho (Augusto Garcez, Canegal, Nelson Cavaquinho)
6- História de um valente (José Ribeiro de Sousa, Nelson Cavaquinho)
7- Ninho desfeito (Wilson Canegal, Nelson Cavaquinho)
8- Rugas (Augusto Garcez, Ary Monteiro, Nelson Cavaquinho)
9- Folhas secas (Guilherme de Brito, Nelson Cavaquinho)
10- Pecado (Ligia Uchôa, Nelson Cavaquinho)
11- Minha honestidade vale ouro (Guilherme de Brito, Nelson Cavaquinho)
12- Quando eu me chamar saudade (Guilherme de Brito, Nelson Cavaquinho)
.
Em 1985, foi lançado o LP Flores em vida, produzido por Carlinhos Vergueiro. O disco contou com a participação de vários artistas: Chico Buarque, Mauro Duarte, Paulinho da Viola, Beth Carvalho, João Bosco, Toquinho e Cristina Buarque, entre outros, e pelo próprio compositor, que compareceu em quatro faixas. O disco-homenagem foi lançado em uma grande festa na Quadra da Mangueira.

domingo, 4 de setembro de 2011

Dilermando dos Santos Reis

Dilermando Reis
(Guaratinguetá, 22 de Setembro de 1916)

Violonista e compositor do Brasil. Foi professor de música do então presidente Juscelino Kubitschek. Gravou diversos discos de sucesso, sendo o chorinho o seu estilo musical. Trabalhou na Rádio Clube do Brasil e na Rádio Nacional do Rio de Janeiro.

Começou a estudar violão com o pai, o violonista Francisco Reis, ainda na infância. Em 1931, aos 15 anos de idade, já era conhecido como o melhor violonista de Guaratinguetá. Neste mesmo ano, assistindo a um concerto do violonista Levino da Conceição, que se apresentava na cidade, tornou-se seu aluno e seu acompanhador, seguindo-o em suas excursões.

Em 1933 chegou ao Rio de Janeiro, em companhia de Levino da Conceição e segundo contou em depoimento ao "MIS", "ao desembarcarmos na Central, tomamos o bonde com destino à Lapa à procura do violonista João Pernambuco", que era amigo de Levino da Conceição. O violonista residia num quarto de uma república na Praça dos Governadores, posteriormente Praça João Pessoa, passaram o resto do dia e a noite com João Pernambuco, entre conversas e música.

Em 1934, Levino Conceição, a pretexto de ir a Campos, deixou pagos 15 dias de hotel para o jovem violonista e nunca mais voltou. Sozinho na cidade, procurou auxílio com João Pernambuco, que o acolheu.
Trabalhou nas casas musicais Bandolim de Ouro e Guitarra de Prata. Foi amigo do ex-presidente Juscelino de Oliveira, e segundo seu depoimento: "Ajudei a construir, com minhas próprias mãos, o Catetinho. Meu violão foi o primeiro ouvido nos céus da nova capital. Fiz também a primeira música em homenagem à cidade que nascia".



sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Chico Buarque

Chico Buarque - Samambaia - 1978


01 - Feijoada completa
02 - Cálice (part. Milton Nascimento)
03 - Trocando Em Miudos
04 - O Meu Amor (part. Marieta Severo e Elba Ramalho)
05 - Homenagem ao Malandro
06 - Até o Fim
07 - Pedaço De Mim (part. Zizi Possi)
08 - Pivete
09 - Pequeña Serenata Diurna
10 - Tanto Mar
11 - Apesar de Você